Publicidade

Conecta Verde

Camargo Embalagens: desafios para a produção de embalagens mais sustentáveis e investimentos para diminuir impacto ambiental

Compartilhar

Confira entrevista exclusiva com Felipe Toledo, diretor de negócios da empresa

Por Elen Nunes / Editado por Flavius Deliberalli

Quais são os desafios para a produção de embalagens mais sustentáveis? Nesta entrevista especial ao Portal Conecta Verde, Felipe Toledo, diretor de negócios da Camargo Embalagens, conta como a empresa lida com esta crescente demanda. O executivo também detalha a criação de um protocolo de produção e a adoção de medidas próprias para diminuir o impacto ambiental da produção da empresa.

Leia agora:

1-A Camargo é uma fabricante de embalagens conceituada, que atende grandes usuários em diferentes mercados. Como tem chegado até vocês esse aumento da demanda por embalagens mais sustentáveis?
Esta já é uma demanda real e constante do consumidor final, consequentemente do nosso cliente. Além disso, grandes marcas já assumiram publicamente a redução do impacto das embalagens até o ano de 2025. Tudo isso ajuda a acelerar o processo de mudança e fazem todos buscarem novas opções.

2-Quais os principais segmentos que vocês atendem, que tem apresentado maior demanda por embalagens mais sustentáveis?
A maior demanda vem do mercado alimentício: café, biscoitos, massas, snacks, chocolates, doces e confeitos, misturas prontas e suplementos. Mas posso dizer que a busca por sustentabilidade está generalizada. O mercado de cosméticos também demanda muito por este tipo de solução, principalmente na mudança das embalagens rígidas para as flexíveis como embalagem principal ou refil.

“Esta já é uma demanda real e constante do consumidor final, consequentemente do nosso cliente”

3-Quais as principais dificuldades que vocês percebem para desenvolver uma embalagem que minimize o impacto ambiental? Materiais? Processos? Equipamentos? Atender requisitos específicos dos clientes? Profissionais capacitados? Detalhe.
Certamente materiais e equipamentos são os maiores desafios, mas cada solução apresenta um desafio específico. É um processo de evolução e ainda não temos a solução perfeita, nem soluções para todos os tipos de estruturas e produtos. Sendo assim, criamos nosso “Tripé de Viabilidade”, para clarear esta visão e facilitar o entendimento dos nossos clientes:

– Viabilidade Técnico: as opções sustentáveis tem características de barreira, proteção, segurança e desempenho semelhantes à embalagem convencional?

– Viabilidade Legal: as opções sustentáveis atendem todos os requisitos legais para utilização no produto?

– Viabilidade Comercial: o custo das opções sustentáveis tem viabilidade financeira dentro da realidade de custo do produto?
Se a reposta for “sim” para estas três perguntas, então temos opções com caraterísticas sustentáveis para substituição da embalagem convencional.

Embalagem compostável produzida pela empresa



4-Para a área de design, como tem sido o desafio de considerar as demandas de sustentabilidade no desenvolvimento das embalagens?
O termo ou conceito de SUSTENTABILIDADE é amplo e não muito claro ainda. Ainda existe muita dúvida por parte do consumidor e de todo mercado. Creio que o maior desafio é como comunicar de uma maneira clara, simples e verdadeira, conceitos que são complexos e técnicos ao mesmo tempo.

“…criamos nosso “Tripé de Viabilidade”, para clarear esta visão e facilitar o entendimento dos nossos clientes”

5-As embalagens têm várias funções, como a segurança e proteção do produto, ser ferramenta de marketing no ponto de venda ou informar o consumidor. Acha que dá para cumprir todas as suas funções e ainda assim ser sustentável?
Com certeza é possível unir as características básicas da embalagem com função sustentável. Mas como ainda é um processo evolutivo, não temos a solução perfeita para todo tipo de mercado ou produto. Então, em alguns casos, somos obrigados a abrir mão de certas características (redução de shelf-life, produtividade etc) se optarmos por usar materiais com característica sustentável.

6-Conta pra gente os desafios de buscar materiais mais sustentáveis como novas alternativas para as embalagens flexíveis.
Existe o desafio de custo, lotes mínimos de compra e o desafio logístico. Temos algumas opções nacionais, mas tem muito material que vem de outros países, o que dificulta e atrasa todo processo. Não é uma cadeia de abastecimento natural e temos que ir atrás das soluções. Felizmente, acreditamos que esta dificuldade é momentânea. Conforme o mercado vai adotando as embalagens, a economia de escala vai ajudando, fazendo com que os produtos estejam mais disponíveis com custos mais competitivos.


7-Gostaria de citar cases de embalagens Camargo que foram bem sucedidos dentro dos conceitos de sustentabilidade?
Feito Brasil, Amma e I’m Green. E agora estamos finalizando a produção das nossas embalagens biodegradáveis e de uma estrutura 100% de papel, selável com barreira.

“…deixamos de emitir em torno de 200 tons/mês de vapor de solvente na atmosfera!”

8-Deseja mencionar outros aspectos importantes relacionados à sustentabilidade das embalagens da Camargo, tais como circularidade, logística reversa, projetos específicos e/ou metas etc?
Além de todo investimento em material, nos preocupamos com as ações internas da Camargo. Além de toda destinação das aparas industriais para processos de reciclagem e reutilização, somos uma das poucas empresas no Brasil que possui num recuperador de solventes na planta. É uma planta química de 900 m² que garante que o vapor dos gases provenientes da produção voltem para o processo em um circuito fechado, eliminando a contaminação do produto e, principalmente, garantindo que a atmosfera não seja contaminada. Investimento feito sem a obrigação ou existência de uma lei ambiental! Com isso, deixamos de emitir em torno de 200 tons/mês de vapor de solvente na atmosfera!

Conteúdo por:

Deixe um comentário

Recomendados para você

Pesquisar

Publicidade

Últimas notícias

Temas mais publicados