Publicidade

Conecta Verde

Linha de vernizes base água da Suvinil passa a contar com embalagens de papel

Compartilhar

Marca afirma que a embalagem de papel é uma alternativa mais sustentável comparada ao galão metálico de 3,6 litros, além de ser de fácil manuseio

Editado por Flavius Deliberalli

A Suvinil, marca de tintas decorativas da BASF, anuncia que sua linha de vernizes base água (Proteção Básica, Proteção Tripla e Proteção Máxima Deck) passa a contar com embalagens de papel.

A mudança, de acordo com a marca, contempla seu novo conceito de comunicação “Suvinil. Pra casa. Pro mundo. Pro futuro.”, no qual são reforçadas iniciativas focadas em sustentabilidade e o compromisso com o consumo mais sustentável no mercado de tintas.

“Acreditamos no poder que as ações do presente têm de transformar o futuro e, na Suvinil, estamos atuando para sermos vetores dessa mudança no nosso segmento. Queremos continuar oferecendo as melhores soluções aos nossos clientes, consumidores e parceiros, unindo sustentabilidade e facilidade para transformar ambientes”, declara Marcos Allemann, vice-presidente das tintas decorativas BASF para América do Sul.

A marca informou também que a adoção da embalagem de papel foi idealizada a partir de uma busca por alternativas cada vez mais sustentáveis para o seu portfólio, acompanhado por um estudo de Análise de Ciclo de Vida realizado em parceria com a Fundação Espaço ECO, uma consultoria para Sustentabilidade mantida desde 2005 pela BASF, com resultados auditados pela ACV Brasil. No estudo, concluiu-se que a solução de papel causa menor impacto ambiental quando comparada ao galão metálico de 3,6 litros. Isso acontece principalmente no início da cadeia produtiva, ao produzir as embalagens.

“Ao longo de toda a cadeia de produção, é possível perceber que a emissão de gases ligados ao efeito estufa corresponde por cerca de 90% da fabricação da lata, enquanto na caixa de papel esse percentual é de apenas 32%. Para cada galão metálico produzido, emite-se cerca de 1,44kg de CO2, enquanto para cada caixa de papel são emitidos apenas 0,23g de CO2. Ainda que seja levado em conta o plástico presente na embalagem como um todo, a diferença de impacto continua sendo consideravelmente menor no papel do que na lata de metal”, explica Vitoria Ferreira de Lanes, analista de sustentabilidade aplicada da Fundação Espaço ECO.

A Suvinil destaca ainda que outra vantagem dessa nova embalagem é que ela apresenta um processo de degradação mais rápida no meio ambiente. A sua matéria-prima é de fonte renovável certificada, feita com 30% de papel reciclado e papel virgem produzido com fibras de madeira de florestas certificadas pelo Forest Stewardship Council (FSC). Ela também foi pensada para ser 100% reciclável, incluindo o bag plástico que envolve o verniz dentro da embalagem. Ambos podem ser reinseridos na cadeia produtiva, desde que sejam descartados corretamente na coleta seletiva.

Por fim, a Suvinil informa que a embalagem de papel oferece uma experiência de manuseio mais prática, pois possui um formato ergonômico, uma cavidade especial para que seja possível segurá-la de forma confortável no momento de agitar o produto, e apresenta um bocal com tampa de rosca que permite o despejo do líquido de forma mais eficiente e que pode ser facilmente fechado após o uso.




Mais informações:

Suvinil
www.suvinil.com.br

Conteúdo por:

Deixe um comentário

Recomendados para você

Pesquisar

Publicidade

Últimas notícias

Temas mais publicados