Publicidade

Conecta Verde

SIG investe em nova tecnologia de reciclagem para aumentar o valor das embalagens cartonadas assépticas recicladas no Brasil

Compartilhar

Empresa afirma que nova fábrica amplia a abordagem para coleta e reciclagem de embalagens cartonadas usadas no Brasil

Editado por Flavius Deliberalli

A SIG anuncia um investimento de R$ 10 milhões em tecnologia inovadora de reciclagem que permitirá que polímeros e alumínio de embalagens cartonadas assépticas usadas sejam recuperados e vendidos separadamente pela primeira vez em escala industrial no Brasil.

Ao expandir a gama de aplicações para materiais reciclados de embalagens cartonadas assépticas usadas, a SIG espera aumentar seu valor em mais de 50%.

“Estamos entusiasmados em trazer para o Brasil uma nova tecnologia que permitirá a separação das camadas de alumínio e polietileno das embalagens cartonadas, ampliando o mercado desses materiais e gerando mais valor a partir dos resíduos separados. Este projeto é o mais recente de uma série de colaborações inovadoras lideradas pela SIG para aumentar as taxas de coleta e reciclagem de embalagens cartonadas assépticas usadas e aumentar a cadeia de reciclagem de maneira sustentável e ética”, afirma Ricardo Rodriguez, presidente e gerente geral da SIG Américas.

De acordo com a SIG, o papel cartão renovável que compõe cerca de 75% das embalagens cartonadas assépticas em média pode ser separado para reciclagem em fábricas de papel por meio da infraestrutura de reciclagem existente no Brasil. A mistura de polietileno e alumínio (polialumínio ou PolyAl) que sobra desse processo pode ser reciclada em um material sólido para fins como telhados, paletes e móveis.

A empresa informou que usará uma tecnologia inovadora em sua planta de reciclagem, que permite separar o polietileno do alumínio para criar um mercado mais amplo e uma demanda por esses materiais reciclados. Desenvolvida ao longo de cinco anos com a parceira do projeto, a ECS Consulting, a nova tecnologia já passou por um projeto piloto que comprovou a eficácia do processo de reciclagem química.

A nova planta de reciclagem da SIG será construída no estado do Paraná. A previsão é que comece a operar em 2024 com capacidade inicial de produção de 200 toneladas por mês.

O foco na reciclagem no Brasil faz parte do compromisso global Way Beyond Good da SIG, e visa aumentar o impacto ambiental e social positivo de suas embalagens durante todo o seu ciclo útil.

“Na SIG, estamos comprometidos em usar os materiais de nossas embalagens de forma sustentável. Já somos o primeiro produtor de embalagens cartonadas assépticas a adquirir 100% de papel cartão certificado FSCTM e a usar alumínio certificado ASI. Também estamos determinados a promover uma cadeia de reciclagem ética que promova a coleta e a reciclagem de nossas embalagens após o uso de uma forma que beneficie as comunidades, os trabalhadores e o meio ambiente. A nova planta de reciclagem no Paraná nos leva um passo adiante nessa jornada, maximizando o valor econômico e ambiental retido dos materiais recuperados das embalagens cartonadas assépticas”, afirma Isabela De Marchi, gerente de sustentabilidade da SIG América do Sul.


Mais informações:

SIG
www.sig.biz/pt

Conteúdo por:

Deixe um comentário

Recomendados para você

Pesquisar

Publicidade

Últimas notícias

Temas mais publicados