Publicidade

Conecta Verde

Recicleiros e Owens-Illinois firmam parceria para viabilizar reciclagem de embalagens de vidro em todo o Brasil

Compartilhar

Expectativa da parceria é recuperar cerca de 3 mil toneladas de vidro no primeiro ano

Editado por Flavius Deliberalli

Para evitar que 60% das embalagens de vidro consumidas sejam descartadas de maneira correta, o Instituto Recicleiros e a Owens-Illinois firmaram uma parceria para garantir que as embalagens de vidro pós-consumo processadas nas 14 unidades de triagem do Programa Recicleiros Cidades, espalhadas nas cinco regiões do Brasil, possam ser recicladas e transformadas em novas embalagens de vidro. A expectativa é recuperar cerca de 3 mil toneladas apenas no primeiro ano do projeto.

De acordo com os envolvidos na parceria, o principal desafio da reciclagem do vidro é logístico, uma vez que é um monomaterial permanente, ou seja, após produzido pela primeira vez, não necessita de outras matérias virgens para ser reciclado novamente, podendo fazê-lo infinitas vezes sem perder suas características principais. Entretanto, devido a problemas no descarte, na falta de infraestrutura de coleta e processamento na cadeia, o vidro pós-consumo acaba se misturando com diversos contaminantes antes de retornar à indústria.

“Queremos aumentar a reciclagem de vidro em regiões do país onde ainda não era viável. Ao fomentar a base da cadeia e a venda desse material por parte das cooperativas diretamente para a indústria, incentivamos a geração de empregos e renda, bem como a redução da extração de matéria-prima virgem do ambiente, a redução no consumo de energia e das emissões de CO2. Outro aspecto importante é que ao reciclar o vidro, é possível aumentar a vida útil dos aterros sanitários, bem como diminuir as despesas do poder público relacionadas ao descarte desse material”, explica Alexandre Macário, gerente da área de Economia Circular da Owens-Illinois.

De acordo com o
Erich Burger, fundador e diretor institucional do Instituto Recicleiros, o contrato firmado entre as partes representa um marco na relação entre cooperativas e indústria, pois foi negociado tendo como premissa um elemento básico fundamental na formação do preço: a garantia de remuneração mínima do processo produtivo. “A viabilidade desta parceria está baseada num modelo de busca de eficiência e padrão de qualidade que possa trazer mais valor para o material pós-consumo produzido nas unidades de triagem. Com equipamentos e processos produtivos adequados, além da busca contínua pela melhoria dos indicadores de produção, torna-se possível oferecer um material com os padrões de qualidade desejados pelos recicladores. Assim, gera-se mais valor para a negociação de venda do material, tornando possível do ponto de vista econômico a circularidade da cadeia do vidro”, explica Burger.

O Decreto 11.300, de 2022, traz uma série de importantes mudanças a fim de criar um ecossistema que aumente os índices de reciclagem de vidro no Brasil. Dessa forma, o acordo entre
Owens-Illinois e Recicleiros busca apoiar a amarração final dessa visão de construção de ecossistema, uma vez que para se criar adicionalidade na reciclagem (decreto 11.413/23 de Crédito de Massa Futura) e garantir o cumprimento das metas de recuperação de vidro (decreto 11.300/22) é preciso investir não só em infraestrutura, mas também ter o compromisso da indústria com o preço mínimo – que viabiliza o processamento e transporte do material para reciclagem.

Sendo assim, a
Owens-Illinois reforça que avançou de maneira firme para ajudar a consolidar o conceito de remuneração mínima do primeiro elo da cadeia, as unidades de triagem. Um conceito fundamental para garantir as condições mínimas para viabilizar que o material reciclável chegue aos portões dos recicladores.

“O conceito de valor mínimo, que considera os custos do processo produtivo na formação do preço do material reciclável, com especial enfoque no custo da mão-de-obra dos catadores, é uma bandeira prioritária no Instituto Recicleiros para todos os materiais pelo impacto que isso tem no desenvolvimento da cadeia de valor, no aumento da reciclagem e na dignidade dos postos de trabalho dos catadores. Este é o primeiro contrato que celebramos com esse enfoque e espero que inspire um movimento nesse sentido”, comenta Rafael Henrique, fundador e diretor de operações do Instituto Recicleiros.


Mais informações:

Instituto Recicleiros
www.recicleiros.org.br

Owens-Illinois
www.o-i.com

 

Conteúdo por:

Deixe um comentário

Recomendados para você

Pesquisar

Publicidade

Últimas notícias

Temas mais publicados