Publicidade

Conecta Verde

PPG conquista status de “aterro zero” na fábrica de Sumaré (SP)

Compartilhar

Segundo empresa, sua principal unidade industrial passa a contar com compactadoras de resíduos não recicláveis, evitando o envio de 28.800 Kg/ano para aterro


Editado por Flavius Deliberalli / Crédito da imagem: Divulgação PPG

A PPG, fabricante global de tintas, revestimentos e materiais especiais, segue investindo em inovação e tecnologia para destinação e tratamento adequados dos resíduos gerados em sua unidade de Sumaré (SP), onde opera sua sede e maior planta industrial.

Neste ano, a empresa instalou compactadoras de resíduos não recicláveis, como parte das ações que permitiram que a unidade alcançasse a meta de “aterro zero” no primeiro semestre de 2023. Com isso, segundo a empresa, cerca de 28.800 Kg/ano de materiais não recicláveis deixaram de ser enviados para aterro, passando a ser destinados agora a uma Unidade de Valorização de Resíduos (UVR), que os transformam em combustível e energia para fornos de cimento e caldeiras.

Além de evitar a emissão de poluentes, como é o caso do metano, quando esses resíduos deixam de ser transferidos diariamente para aterros, também se reduz a emissão do CO2, que ocorre durante o transporte.

“Para compreendermos a origem desse material, rastreamos todo resíduo não reciclável gerado. Em um primeiro momento, buscamos a redução; o segundo passo foi transformar esse material em energia”, explica Mayra Wayss, gerente de Meio Ambiente, Saúde e Segurança da PPG para América Latina e Sul.

A PPG informou ainda que, em breve, suas demais unidades industriais no país, localizadas nos municípios de Américo Brasiliense (SP), Pinhais (PR) e Gravataí (RS), que já têm o status de zero aterro para resíduos industriais, também obtenham o mesmo status para resíduos não recicláveis.

“Atingir a meta de aterro zero para resíduos não recicláveis vai ao encontro do nosso propósito, uma vez que a sustentabilidade é um pilar-chave para nossos negócios. Na PPG, temos metas ousadas de ESG, que também estão relacionadas com os desafios globais causados pelas emissões de gases de efeito estufa e as mudanças climáticas. Estamos fazendo nossa parte, visando sempre inovações sustentáveis”, conclui Mayra Wayss.


Mais informações:

PPG
http://brazil.ppg.com/



Conteúdo por:

Deixe um comentário

Recomendados para você

Pesquisar

Publicidade

Últimas notícias

Temas mais publicados